Moça, você é linda!

sábado, janeiro 09, 2016


Essa imagem foi criada por mim em 2012, para o meu antigo blog! Acreditam?


Quem nunca se criticou diante do espelho? Quem nunca encolheu a barriga para vislumbrar como ficaria "linda toda chapada"? Ou já se arriscou a participar de algum #projetoverão fazendo dietas mirabolantes? Poderia dar vários outros exemplos que toda mulher já fez um dia. Porém quando o assunto é de se aceitar como é, o assunto fica pesado e o caminho parece mais difícil, quando na verdade é exatamente o contrário: o mais fácil.

  No início do ano tivemos a disciplina Moda e Estética na faculdade, nos primeiros dias de aula discutimos algumas cirurgias bizarras que pessoas - até então - comuns fizeram em 2015. Uma das notícias que mais marcou para mim foi do homem que gastou R$400 mil em cirurgias para parecer a Kim Kadarshian (vídeo dele aqui). Alguns acharam loucura, outros disseram que ele queria se aparecer já eu acredito que isso deixou de ser uma preocupação leviana com a aparência para se tornar uma doença, da qual todos nós estamos sujeitos a sofrer em maior ou menor escala de gravidade em algum momento da nossa vida.

"Ia fazer um mega sucesso também se tivesse o bumbum da Kim Kadarshian", "Queria ter um bocão que nem a Kylie Jenner", "Queria ser tão magra e esguia quanto a Gisele Bundchen". Todo mundo gostaria de ser alguém, menos a pessoa que você vê refletida no espelho. A verdade é que se não cuidarmos da nossa mente podemos adoecer com essa obsessão por um ideal de beleza. A mídia está aí repleta de técnicas para photoshopar uma modelo (que já é linda por natureza), cirurgias plásticas, cremes milagrosos caríssimos entre outros... Então cabe a nós manter nossa sanidade para não entrarmos neste clima doentio da busca pela perfeição.


Já tive problemas (e vergonha) em aceitar minha altura, peso, nariz, cabelo e pintinhas. Hoje em dia não tenho mais. Percebi que sem essas características (e não defeitos) fazem parte de quem eu sou! Se eu tivesse o bumbum da Kim e o bocão da Kylie será que seria a mesma Daniela? Me contentaria apenas com isso? Creio que não. Quando finalmente conseguimos o que queríamos criamos mais necessidades.

Então convido você a olhar aquela pessoa que está diante de você na frente do espelho hoje sem medo, menos críticas e mais amor. Tem algo que te incomoda muito e gostaria de mudar? Então mude sempre respeitando os limites do seu corpo, seu biotipo corporal e sua saúde. Mas mude por você, para se sentir melhor. Quando as pessoas se aceitarem mais como são ao invés de cobiçar uma imagem intangível, muitas pessoas deixarão de adoecer e serão pessoas autenticamente mais felizes!




 E ai pessoal, gostaram do texto? Já passaram por algo parecido? Tiveram ou ainda têm problemas para aceitar seu corpo? Deixem seus pitacos e experiências nos comentários!





Já viu estes aqui?

0 comentários

Instagram