Economia colaborativa e seus benefícios na moda

segunda-feira, abril 04, 2016

Oi pessoal, tudo certo com vocês?


  A proposta do post de hoje é trazer um pouquinho mais de reflexões sobre atitudes cotidianas, principalmente relacionada com a forma que consumimos moda atualmente.

  É bem sabido que nosso planeta está saturado de lixo. Afinal de contas, você acha que aquela embalagem ou roupa velha que você joga fora vai para onde? Tudo continua aqui no nosso planeta, a única diferença é que geralmente estes produtos são alocados bem longe de nós, para que a gente se esqueça que isto é um problema. Aos poucos, começamos a perceber e entender que o slow fashion é mais do que apenas nova tendência de nome bonitinho para se tornar uma atitude extremamente necessária que precisamos praticar para ontem!
Economia colaborativa na moda - frase Vivianne Westwood  O vídeo abaixo da empresa Box 1824, que é especialista em pesquisa de tendências no mercado, mostra como e quando entramos neste processo caótico que nos encontramos hoje. Ele é um pouco longo (10 min de duração) mas vale super a pena assistir para entendermos todo contexto deste ciclo consumista.




  O consumo consciente é, sem dúvidas, o primeiro passo por um mundo mais correto e sustentável. Mas e se eu te dizer que apenas essa atitude não é o suficiente para salvar o nosso planeta? Te apresento o conceito de economia colaborativa, nossa futura parceira daqui para frente e uma grande tendência de mercado que veio para ficar.

  Mas afinal de contas, o que é o consumo colaborativo? Como ele funciona, como pode melhorar nosso planeta e as pessoas que vivem nele? Uma das três possibilidades é redistribuir coisas que já possuímos mas não utilizamos mais ou usamos pouco. Podemos vender, compartilhar, emprestar ou trocar este produto. Afinal de contas, o que não é interessante mais para mim pode ser super bacana para outra pessoa. Outra forma é a prestação de serviços e produtos, que a Gi Fialho, do blog Criativo Caos explica detalhadamente aqui.

  E advinha só quem entra nessa jogada? Acertou quem chutou brechós! A cada dia mais as lojas que comercializam objetos de segunda mão estão mais sofisticadas, encantadoras e inovadoras. Além disso, os brechós online, que até então eram quase inexistentes, estão começando a pipocar na internet. Alguns dos motivos que fazem diversas fashionistas migrarem para este tipo de loja é a exclusividade, durabilidade das peças e preço acessível.
Brechó Camélia Vintage
Apresento a vocês um brechó online que descobri recentemente: Camélia Vintage!
Eles começaram a me seguir no Insta e fiquei encantada com as peças, modelos, produção de moda, site, TUDO! Tô apaixonada, SOCORR
Imagem: fã-page   

  Há também outras facetas desse movimento, que são as publicação de vendas em mídias sociais. Vai dizer que você nunca viu algum amigo vendendo um objeto pouco usado no seu próprio perfil do Facebook? Ou uma amiga que anunciou uma peça em bom estado em um grupo? Eu mesma já vendi e comprei alguns produtos.

  Minha última aquisição, por exemplo, foi uma rasteirinha preta com bordado étnico que combinei com a vendedora qual seria a melhor estação do metrô para ambas. Sabe qual é a parte mais legal disto? Que o consumo compartilhado é uma via de mão dupla: foi bom para mim que não tinha dinheiro suficiente para comprar uma nova e bom para ela, que tinha um sapato encostado em casa e precisava de um dinheiro a mais.

   Os empreendedores também já estão de olho nesse novo comportamento e estão aplicando a ideia no mercado. Um das empresas que eu não poderia deixar de citar é sem dúvidas o Enjooei, que é um dos negócios mais bem sucedidos e conhecidos da atualidade que trabalham com o conceito de mercado redistribuitivo. O forte dessa plataforma online, sem dúvidas é o marketing digital, que convida diversas influencers e famosos para desapegarem daquelas coisas que não usam mais. Tudo isso para nos convencer de que não há nada de errado em vender aquilo que você não usa mais, muito pelo contrário, é super cool! 

Enjoeei Economia colaborativa - mercados redistributivos
Imagem: Enjooei
  Se você tem algumas roupas, livros ou objetos em geral que não usa mais a palavra de ordem é desapego! Venda em grupos no Facebook, Enjoeei, OLX, para uma amiga ou quem quer que seja. Se for para estragar aquela bolsa ou sapato que você tanto ama e deixa guardada, que seja com outra pessoa e de tanto usar! #ficaadica

Esse post é em parceria com a Gi Fialho, do blog Caos Criativo, dessa forma nenhum texto fica pesado, gigantesco e vocês podem conhecer dois blogs novos, ou seja, usufruir do nosso compartilhamento de ideias, experiências e aprendizagem!


  E ai pessoal, já ouviram falar em economia colaborativa? Gostaram da iniciativa? Conhecem alguma empresa bacana com esse formato? Deixem seus pitacos para mim nos comentários :D







Já viu estes aqui?

4 comentários

  1. Tô com um post sobre consumo consciente lá nos rascunhos pra soltar mas a vergonha tá pesando sudhsu achei ótimas as diquinhas que cê deu e olha, teu blog tá cada dia me surpreendendo em questão de conteúdo viu? arrasa muié <3

    irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, como assim vergonha? )': Esse tema é tão lindo, politicamente correto... posta sim! <3
      Ganhei meu dia com seu elogio, sério *-* hahahaha muito obrigada Irianne! Isso que me dá mais força de vontade de continuar com o blog mesmo com a correria do dia-a-dia e a falta de ideias :S rs

      Beijocasss

      Excluir
  2. Isso é muito importante mesmo, mas não sabia que tinha esse nome de economia colaborativa. Eu faço parte do enjoei mas ainda não vendi nada :( na verdade eu criei por umas blusas que nunca usei, mas faz muito tempo que elas existem então acho que não houve muito interesse :(
    é interessante pensar que até algumas marcas apoiam isso - algo que seria absurdo num contexto capitalista- mas reflete o pensamento de que todos estão tentando pensar no futuro e colaborando para que o planeta continue sendo habitável.

    dezoitoemponto.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sami! Esse é um conceito com um nome "novo" mas quis mostrar que ele já está super presente no nosso dia-a-dia mesmo sem percebermos!
      Pode ser que falta um pouquinho de divulgação e criatividade na hora de customizar as peças, vai que elas ficam mais interessantes? :P
      Esse tipo de atitude aos poucos, está sendo cada vez mais cobrada das empresas! Acredito que é por isso que elas estão tentando se enturmar nessa nova tendência de consumo. Se não, a galera migra para outras marcas mais conscientes!

      Beijocas Sami, obrigada pela sua visita <3

      Excluir

Instagram